Pelo menos 35.451 limeirenses (12,6% da população) têm algum tipo de deficiência. O índice elevado exige cada vez mais mecanismos de inclusão e paralelamente políticas preventivas.

Sabendo disso a Apae de Limeira conseguiu implantar uma pesquisa inédita que ajudou a cidade a conhecer as causas genéticas das deficiências mentais e paralelamente poder ter subsídios para efetivamente diminuir os números apresentados acima.

Trata-se de um trabalho em parceria com a USP de Ribeirão Preto através do departamento de Genética Humana e do Professor Doutor João Monteiro Pina Neto.

Estabelecida a parceria, que foi o primeiro passo do trabalho, o segundo foi conseguir os investimentos na ordem de 150 mil reais, que foram prontamente obtidos com o Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência – O CMDCA de Limeira.

O estudo incluiu avaliações médicas com geneticistas, neuropediatras, além de toda uma equipe interdisciplinar, e exames de laboratório.

Diante dos resultados foi possível orientar as famílias e  ter um mapeamento dos fatores específicos da deficiência, como alcoolismo e síndrome do cromossomo X-frágil, por exemplo, relacionados à causa da deficiência mental.

Os benefícios do projeto estão diretamente relacionados à prevenção de novos casos com ações de aconselhamento aos pais, medidas sócio-educativas e políticas públicas.

Leave a Reply

*